terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Iniciados: Barreirense "B" 4 X G.D.Alfarim 0

Os Iniciados do Grupo Desportivo de Alfarim deslocaram-se no passado sábado à cidade do Barreiro, no primeiro jogo da segunda volta do campeonato para defrontar a formação local, saldando-se o resultado em 4 bolas a zero, a favor do anfitrião.
A partida teve início quando passava 1’ das 15h00, com o céu cor de chumbo e um ventinho cortante que durante a primeira parte bem dificultou a vida aos nossos atletas que jogaram em posição desfavorável, enfrentando assim para além do opositor também o vento que lá ia desviando as trajetórias do esférico e dificultando, como é normal, o domínio da bola.
Foi aos 16’ da primeira parte que o Barreirense inaugurou o marcador, num lance em que uma pequena hesitação do guardião do Alfarim foi decisiva para a concretização do golo.
Dez minutos depois sobe a vantagem para duas bolas a zero.
Chegados ao intervalo a perder por duas bolas acreditava-se ainda que seria possível dar a volta ao resultado, na segunda parte iríamos ter o vento a nosso favor e o adversário não demonstrou superioridade de realce relativamente à formação orientada pelo Mister Nuno Brandão.
Mas o que se passou afinal na segunda parte não foi o que se esperava, o que se queria, o que todos nós ansiávamos…o que se passou foi que o anfitrião marcou mais dois golos e a esperança de começar estar segunda volta com um resultado positivo esvaiu-se, foi-se com o vento ou quiçá diluída na chuva gelada que entretanto do céu tombou…
Tá difícil mas também se fosse fácil não tinha graça nenhuma…a gente chega lá…é preciso acreditar, continuar a trabalhar, a insistir, nunca desistir, ser teimoso, persistente e talvez continuar a sonhar, porque sonhar não custa nada, adoça a vida, a alma e o corpo e permite ver a realidade com mais alegria…
Já não sei mais que vos diga para vos poder motivar, incentivar, apoiar…deixo-vos esta semana as palavras do poeta, com o desejo que também encontrem nos sonhos o vosso caminho...

“Teria passado a vida 
atormentado e sozinho 
se os sonhos me não viessem 
mostrar qual é o caminho 

umas vezes são de noite 

outras em pleno de sol 
com relâmpagos saltados 
ou vagar de caracol 

quem os manda não sei eu 
se o nada que é tudo à vida 
ou se eu os finjo a mim mesmo 
para ser sem que decida. “
(Agostinho da Silva)

Anabela Pinto Coelho




Sem comentários: